“Viajar para mim é o que me move! É o melhor investimento na vida, pois são coisas que vivencio, aprendo com outras culturas, gravo na alma, e NUNCA volto igual. É um movimento de dentro para fora; saio da minha zona de conforto e mergulho realmente em meu interno…”

Muito bom continuar o Open House dessa semana nessa atmosfera viajante que a arquiteta Claudia Alionis vive e transmite diariamente, não é? A casa localizada em uma vila no bairro de Santo Amaro é linda e receptiva, os 185m² foram sabiamente reformados pela própria dona e, aos poucos, foi ganhando a cara dela, que amou a experiência de projetar para si.

Durante a obra, a Claudia enfrentou desafios interessantes que, mesmo trabalhando diariamente com arquitetura e interiores, foram fundamentais para as próximas etapas ficarem claras e entender o rumo que a casa estava tomando. Ela me contou que o maior dos desafios foi aguentar a ansiedade, porque na cabeça da arquiteta tudo estava pronto e no lugar, mas na vida real, sabemos bem que reformar demanda tempo e paciência. Durante a obra, ela descobriu um piso de canela original da casa nos quartos, e não pensou duas vezes em restaurá-lo; além disso, a escada da edícula teve que ser içada pelo muro dos fundos, coisas que ela não imaginava vivenciar, mas que valeram a pena para deixar o resultado final exatamente do jeito que ela e a filha sonharam.

Hoje, vivendo há mais ou menos 5 meses na casa, a Claudia já tem muitas vivências para compartilhar! É lá que os encontros com seus amigos acontecem, onde faz suas experimentações na cozinha e muita arte com a filha no ateliê. Tanto exterior, quanto interior são convidativos: a árvore na frente da casa fica sempre cheia de crianças, e o décor lá dentro te faz querer ficar por horas ouvindo tudo o que a arquiteta têm para contar. Os acabamentos brutos originais e a decoração colorida conversam entre si, a casa vai se moldando através da rotina de São Paulo e de experiências trazidas de novos lugares do mundo; arquitetura, interiores e viagens andam juntos:

“Para a minha vida profissional, viajar me ajuda à abrir minha mente para o processo criativo, pois vejo cores, tecidos, utensílios diferentes…. saio totalmente da caixinha!”

A casa de vila da Claudia é sem excessos e os espaços são aproveitados de fato na rotina, além de terem a cara da dona. Como te falei, é um lugar que tem muito a ser mostrado, então gravei um tour por lá cheeeio de detalhes! APERTA O PLAY aqui embaixo, tenho certeza que vai adorar e se inspirar 😉

Fotos: Rafael Renzo