As redes sociais são maravilhosas pois te proporcionam estar em contato com pessoas que vc nem sonhava em conhecer, certo? Certíssimo! Mas vira e mexe o Instagram e o Facebook me lembram aquela balada de quando tinha 15 anos que encontrava amigos do clube, da escola, da praia rssss Para quem tem uns 36 anos e mora aqui em São Paulo, seria uma espécie de “Cabral” kkkkkk

Bom, estou dizendo isso pq estava eu numa madrugada navegando pelo Insta quando vejo uma foto na timeline do Robert Robl de uma festa que rolava em um apê super descolado. Imediatamente mandei um inbox para saber tudo: de quem era, como era, se rolaria um Open House – a stalker máxima do Insta agindo noite adentro rssss

Bom, o resultado é este Open House que vos fala, da Carol Ferreira. Arquiteta e grande amiga do Robert. Nem bem conheci a Carol, mas já no primeiro whats senti que ela é daquelas pessoas que vc se sente a vontade nos instantes seguintes de ser apresentada, e você vai perceber bem isso no vídeo da segunda parte deste Open House.
Lucila: Você comentou no vídeo que costuma reservar as manhãs para se dedicar aos esportes, certo? Quais você pratica?
Carol: 
Meu esporte preferido é natação, mas também gosto bastante de bike.

Lucila: Qual a viagem que mais marcou a sua vida e o motivo.
Carol: Bom, sou louca por viagens e sempre que posso estou programando a próxima. Quando me formei na primeira faculdade fiz uma longa viagem de mochileira pela Europa, foram 9 meses incríveis, trabalhei, estudei e descobri que podia me virar sozinha e conhecer diversas culturas e pessoas, foi uma viagem que me deu um grande senso de independência e muita alegria.

Lucila: qual o seu ou um dos seus restaurantes prediletos aqui em SP?
Carol: Em São Paulo tem tanto restaurante bacana, né, difícil escolher só um… estou em uma fase de curtir muito comida peruana, e uma ótima pedida é o Suri. Aqui em pinheiros também abriu um Riconcito Peruano, que apesar do ambiente muito simples tem pratos deliciosos!

Lucila: Você mudou radicalmente de profissão. O que te encorajou a desenhar um novo caminho?
Carol: A mudança de profissão foi acontecendo de uma forma natural, eu era gerente de marketing em uma empresa de cinema digital, gostava do que fazia. Mas quando iniciei a reforma do apê eu realmente me apaixonei por arquitetura, e acabei investindo em um curso técnico de Design de Interiores para fazer a transição. Fui muito bacana, hoje sou muito feliz com meu trabalho! Fotos e cenas: Edu Catello