Atravessar o portão da casa da Andrea Lucchesi é quase como se teletransportar para uma oásis em meio a São Paulo. O terreno de quase 1000m² no Jardim Paulista é silencioso, abraçado pela natureza e recebe a visita dos pássaros o dia todo, além de sustentar uma casa linda. É com muito entusiasmo que apresento essa semana, a história dessa morada para lá de especial aqui no Open House!

A designer e arquiteta Andrea Lucchesi, sócia do Mestisso Arquitetura, morava com o marido em outra casa no mesmo bairro e passava diariamente em frente à atual, sempre se imaginado nela. Em uma dessas passagens, a Dea viu um caminhão de mudanças e pediu para o marido ver se, por um acaso, a casa estava disponível. No mesmo dia ele preparou uma surpresa, e ambos foram visitar a casa:

“Foi amor a primeira entrada! Resolvemos que seria nosso lar e desde então somos encantados com ela, e a maneira como nos aconchega.”

A casa de 600m² foi construída de uma maneira interessante, a parte principal foi erguida por volta de 1945 e tem o estilo das fazendas coloniais paulistanas de 1800, uma estrutura linda e super bem cuidada. Ao longo dos anos e dos diferentes moradores que passaram por ela, foram sendo construídos anexos que são interligados por um corredor, remetendo à uma vila antiga de Paraty – lugar que o casal ama e tem uma relação muito forte.

A Dea me contou que foram necessárias algumas reformas, como refazer a infra, o teto e toda a parte de iluminação; eles tiveram um mês para fazer tudo e, ao mesmo tempo, devolver a casa antiga. Como foi um prazo mais que apertado, conviveram com o pessoal trabalhando na obra e moraram esse período com o bebê recém-nascido em um único quarto, que era o cômodo liberado para a mudança. Foi uma convivência intensa, mas que no fim deu tudo certo!

Como a metragem da casa é maior do que a que viviam anteriormente, a arquiteta foi arrumando e ambientando sem pressa, e de acordo com as necessidades que surgiram ao longo do tempo; cada passo funciona como uma transformação, um novo cantinho surge e, como a casa é alugada, o mobiliário é prático e pode ser mudado de lugar facilmente. A casa da Dea reflete exatamente quem vive ali, é um ambiente leve e sereno, e acredito que com essa produção em que quem manda é o tempo, a morada vai adquirindo personalidade naturalmente; é um processo muito rico:

“Nossa casa é uma metamorfose! Em 15 dias morando aqui, meu marido havia pedido um jantar para os amigos e não tínhamos móveis. Tivemos que fazer no improviso; alguns sentados no chão, outros no único sofá e, no final, foi uma delícia! Eles voltaram quando o ambiente ficou pronto e se encantaram com a transformação!”

Você vai perceber ao longo das fotos que a casa é uma boa mistura do colonial com o contemporâneo, mas não pense que acaba por aqui! Amanhã te espero para ver a área íntima e, principalmente, assistir ao vídeo com tour maravilhoso que fiz por lá com a Dea e a Carol Razuk, também sócia do Mestisso. Não perca, hein!!! 😉

Fotos: Rafael Renzo