Uma coisa me incomoda um pouco, a ideia que insiste em bater a minha porta de ser feliz somente aos finais de semana. Pensa bem, se entrarmos nessa roda vida esperaremos 2/3 das nossas vidas para esses dias de felicidade, que acontecem aos finais de semana. Me policio para fugir dessa rotina, nem sempre consigo, mas tento, me esforço.

Exatamente por esse motivo gostei tanto do projeto que a Marina Linhares apresentou nesta Casa Cor. É um espaço que sim, poderia estar numa casa de campo ou até mesmo numa praia, mas poderia também estar num rooftop aqui em São Paulo, no espaço de uma antiga garagem, numa área livre da casa… Enfim, ela pensou num espaço para uso diário na cidade em que vivemos. O conceito das caixas de vidro ora abertas ora integradas funciona para absolutamente qualquer situação e isso eu acho que é muito atual e bem-vindo nos dias de hoje. 

Fora a construção em si os espaços estão deliciosos, coisa já esperada por mim e todos que gostam e se indentificam com o trabalho da Marina. Acho o décor que ela propõe sempre acolhedor e despretencioso – adjetivo que a cada dia mais valorizo num momento em que as coisas estão tão malucas e que, pasme, vejo casas absolutamente frias e sem história de vida serem incensadas como o must have do momento… 

No projeto o paisagismo tem força total, pois praticamente não temos paredes fechadas, só janelões que dão para o verde. A junção entre interno e externo é tão intensa que vemos a folhagem em vãos de vidro no chão, no deck e entre as caixas. Gostei muito também das redes de couro trazidas do Mato Grosso do Sul pelo Alexandre Furcolim, que assina todo o projeto paisagistico.

Bom, chega de blá blá blá da minha parte né rsss vamos direto ao que interessa né 😉 Fotos!

Fotos: Romulo Fialdini