Papo de Paisagista – Amazônia e sua riqueza

Hoje vou falar um pouco sobre a Amazônia e elencar algumas espécies vegetais arbóreas que encontrei quando visitei a floresta, com o intuito de proporcionar maior conhecimento dessa variedade de árvores e suas características mais relevantes.
A Amazônia é simbólica à biodiversidade brasileira, já que aproximadamente 60% de sua extensão está contida em nosso território, a qual denominamos de Amazônia Legal. O restante inclui territórios pertencentes a nove nações,  sendo o Peru com 13%, e com partes menores a Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

Fonte: acervo pessoal

O bioma Amazônico, um dos seis biomas continentais do Brasil, abrange aproximadamente 56% do nosso território, o qual se caracteriza por temperaturas elevadas associado a um grande volume de chuva. Essa formação vegetal é formada principalmente por florestas densas, onde há predomínio de árvores muito altas com grandes copas, além de abrigar outros ecossistemas, como florestas de igapós e as matas de várzeas.
Em razão dessas características a Amazônia configura a maior biomassa florestal do planeta e a maior concentração de biodiversidade da terra, sendo que somente no Brasil, crescem 2.500 espécies de árvores e 30.000 espécies de plantas, segundo o Ministério do Meio-ambiente.
Embora a Amazônia esteja em pauta na opinião pública, poucos a conhecem de fato a ponto de proporem soluções para combater efetivamente o desmatamento dessa região, altamente ameaçada devido à expansão das fronteiras agropecuárias e áreas de interesse de extrativismo mineral. Essas mudanças causam efeitos negativos aos serviços ecossistêmicos e alteram o clima, a biodiversidade, as fontes de água potável, e promovem a erosão do solo e o esgotamento de seus nutrientes, além de uma série de outros impactos negativos. Assim, é urgente o debate e a resolução de medidas que contenham a destruição desse patrimônio natural brasileiro, o qual é muito discutido e pouco protegido.

Vamos falar agora de algumas espécies arbóreas de grande porte que encontrei por lá e que ocupam as matas de terra firme, que são florestas situadas em uma região de relevo mais elevado, onde não há alagamentos.

1- Bertholletia excelsa (castanheira)
Característica:
Planta semidecídua, altura de 30-50 m e floresce de novembro a fevereiro;
Uso:
A madeira é pesada, é indicada na construção civil, tábuas para assoalhos e paredes, forros, compensados e etc. As castanhas são para consumo e constitui um dos principais produtos de exportação da Amazônia.

Fonte: Google

2- Dinizia excelsa (faveira)
Característica: Planta semidecídua, altura de 50-60 m, tem tronco revestido por casca descamante e floresce de agosto a outubro;
Uso: A madeira é muito pesada e é indicada para usos externos, para postes e moirões e para construção civil como tábuas para assoalho, portas e janelas e etc.

Fonte: Google

3 – Tabebuia caraíba (ipê amarelo do cerrado)
Característica: Planta semidecídua (decídua no cerrado), altura de 12-20 m (4-6 m no cerrado), tem tronco tortuoso e revestido por casca grossa e floresce de agosto a setembro;
Uso: A madeira é pesada, é indicada para construção civil e usos externos, como esquadrias, para a confecção de móveis, e etc. Útil para reflorestamentos em áreas degradadas.

Fonte: Google

4 – Hevea brasiliensis (seringueira)
Existe na Amazônia diversas espécies de seringueiras, essa espécie é uma delas e é encontrada nas áreas inundáveis da mata de terra firme. Essa espécie é cultivada não só na região amazônica mas em vários locais do Brasil.
Característica: Planta lactescente semidecídua, altura de 20-30 m e floresce de agosto a novembro;
Uso: A madeira é leve. É empregada para forros e caixotaria. Seu maior valor é o látex extraído do seu tronco utilizado na fabricação da borracha. As sementes fornecem o óleo usado na indústria de tintas e vernizes.

Fonte: Google

5- Guarea guidonia (cedro-branco)
Característica: Planta perenifólia, altura de 15-20 m e floresce de dezembro a março;
Uso: A madeira é pesada e empregada na construção civil e naval, para confecção de vagões e carrocerias, forros, caixilhos e etc. Planta útil para plantios em áreas degradadas de preservação permanente.

Fonte: Google

6- Swietenia macrophylla (mogno) – encontrada em reservas protegidas
Característica: Planta semidecídua, altura de 25-30 m e floresce de novembro a janeiro;
Uso: A madeira é moderadamente pesada, indicada para mobiliários, lambris, esquadrias, assoalhos, guarnições, rodapés e etc.

Fonte: Google

Isso foi uma pequena amostragem das belezas encontradas nessa imensidão de águas e florestas, uma riqueza imensurável, que nos emociona muito quando a conhecemos de perto.

Deixo para o próximo texto comentar sobre as árvores encontradas nas matas de várzeas e outras espécies vegetais.

Até a próxima!

2019-08-26T20:01:50-03:00 Categorias: Paisagismo, Papo de Paisagista|

2 Comentários

  1. Jhow agosto 27, 2019 em 1:17 am - Responder

    Muito boa matéria neste momento de crise que estamos passando!
    Alem da beleza, a vida dos animais e ate mesmo a vida do nossos rios!

Deixar Um Comentário