Para quem sonha em montar uma área de relaxamento em casa, certamente a jacuzzi é um dos itens mais visados. Afinal, essa banheira de grandes proporções e com sistema de jatos promete momentos de paz sem precisar sair de casa. Pensando nisso, resolvi trazer algumas informações relevantes para você que se interessa pelo tema ou pensa em adquirir uma. Vamos lá?

A primeira banheira com temperaturas variáveis e jatos para relaxamento do mundo foi inventada em 1970 nos Estados Unidos por 7 irmãos italianos de sobrenome Jacuzzi. Por conta disso, ‘jacuzzi’ é também o nome do sistema de jatos que mantém a água em constante movimento na banheira ou piscina. Dessa forma, o termo é comumente utilizado para se referir a estrutura como um todo, mas ela pode ser chamada de hidro spa ou piscina de hidromassagem.

Independentemente do nome, é fato que optar por ter uma jacuzzi em casa pode ser uma escolha não somente agradável aos olhos, mas também benéfica à saúde. Não é à toa que muitos atletas de alto rendimento utilizam constantemente as jacuzzis para aproveitar os efeitos dos jatos de água. 

Isso porque é comprovado que a ação da água quente estimula a circulação sanguínea e diminui a pressão nas articulações, o que ajuda na recuperação de traumas leves. Além disso, o vapor quente da água pode ser um ótimo aliado no tratamento da gripe, já que ajuda a descongestionar as vias respiratórias.

E vale lembrar que é possível utilizar a jacuzzi em todas as épocas do ano, uma vez que o sistema de aquecimento oferece a opção de esquentar e esfriar a água. Mas é importante levar em consideração que se você está pensando em instalar um equipamento do tipo, é preciso antes realizar uma avaliação estrutural para verificar questões hidráulicas e elétricas que podem ser determinantes.

A partir do momento em que esses pontos forem conferidos, é necessário decidir qual dos dois principais tipos de jacuzzi se encaixa melhor nas suas necessidades: a de embutir ou a de free-standing. Normalmente as jacuzzis embutidas tornam a estética do ambiente mais ‘limpa’, pois a banheira ganha um visual discreto. Dá só uma olhada:

Escritório: Dudi Duarte // Fotos: Julia Herman/ Divulgação

Escritório: Korman Arquitetos // Fotos: Gui Morelli/ Divulgação

Escritório: InTown Arquitetura // Fotos: MCA Estúdio/Divulgação

Escritório: Márcia Brunello // Fotos: Zé Pedro Russo/ Divulgação

Por outro lado, as jacuzzis freestanding podem ser colocadas sobre o piso como um móvel, tornando fácil inseri-las em qualquer ambiente. 

Escritório: Amfb Arquitetura // Fotos: Evelyn Muller/ Divulgação

Escritório: Infinity Spaces // Fotos: Dotta/Divulgação

Escritório: Espaço do Traço Arquitetura // Fotos: Lio Simas/ Divulgação

Em relação aos materiais, uma dica importante é escolher um piso adequado para a área que comportará a hidromassagem. Como é normal que o ambiente ocasionalmente se molhe, opte por um piso antiderrapante e que não acumule muita umidade. 

E como o estado da jacuzzi à longo prazo depende também do cuidado de quem a utiliza no dia a dia, para finalizar reuni algumas dicas aqui para preservá-la: 

  • Antes de usar a jacuzzi, tome um banho de chuveiro. Isso evita que resíduos de óleos e cremes se acumulem nas superfícies ou no filtro
  • Diferente de uma banheira convencional, a água não precisa ser trocada a cada uso, mas cheque semanalmente o nível de PH da água
  • Limpe bem o filtro com água corrente a cada duas semanas
  • A limpeza da superfície interna é simples e deve ser feita usando apenas uma esponja macia e detergentes específicos para jacuzzis
  • Mantenha a jacuzzi sempre coberta quando não estiver sendo usada. Isso evita acidentes e uma exposição desnecessária a resíduos e sujeiras

Esse é um conteúdo feito pelo Casa de Valentina com apoio da OMA, que na nossa opinião é a melhor empresa para cuidar do seu imóvel 😉