Quando recebi as fotos do apartamento da Rosângela e do Eduardo Batistelli, não imaginei o quão impactada e contente ficaria em ter agendando o Open House, pois se tem um assunto que essa dupla domina é personalidade. O Eduardo morava sozinho no apê, que tinha outro layout e decoração predominantemente preta e branca, e assim que foi decidido que a Rosângela se mudaria para lá, eles sentiram necessidade de duas coisas: nova reforma e CORES! Localizado no Paraíso, cada cômodo dos 100m² recebeu então uma cor diferente – cores fortes e expressivas -, refletindo na atmosfera do lugar a alegria e parceria que o casal tem. Quem assina esse projeto? O escritório do próprio Eduardo, o Batistelli Arquitetura e Design, onde é sócio com sua irmã 😉

Casa de Valentina: Qual o segredo de usar tantas cores e não enjoar delas no dia-a-dia?
Eduardo Batistelli: Qual o segredo de conviver com alguém e não enjoar no dia-a-dia? Fazer a escolha certa!!! Rsrsss… É preciso pensar muito bem em todo o conjunto, as combinações e contrastes com os materiais, madeira, pedra, revestimentos, e principalmente a função de cada cor no ambiente. Penso também que a casa e as cores têm que estar em sintonia com as fases da vida dos moradores. A cor pode ser efêmera e alterada com o tempo, até porque a pintura é um item que requer manutenção. Nós também mudamos e evoluímos ao longo da vida!

CV: Gosta de sugerir cores aos seus clientes?
EB: Gosto muito! Sempre discuto as cores com a equipe do escritório, fazemos a composição e analisamos como a cor é alterada de acordo com a iluminação artificial, as variações da luz natural e materiais ao lado. Se recebem bem os projetos coloridos? Depende da personalidade de cada um. A maioria dos clientes chega com uma ideia pronta por ter visto um ambiente, referência ou simplesmente por gostar da cor. Em cima disso, trabalhamos o todo e sugerimos o tom ideal, já que uma cor pode ter muitas nuances. Quando os clientes deixam as sugestões em nossas mãos, procuramos oferecer mais de uma opção para ver com qual se identificam.

CV: Mas sente que ainda existe o medo de ousar?
EB: Ainda existe sim, e alguns acabam optando por cores neutras mesmo. Mas acredito que as pessoas deveriam experimentar mais, até porque a pintura é um item relativamente barato e provoca diferentes sensações. Temos como exemplo o uso das cores na Cromoterapia, e como elas são importantes na nossa vida e estão diretamente ligadas ao estado emocional…

Prepare-se para dar PLAY no vídeo abaixo com tour em um dos apartamentos mais coloridos que já visitei!

Fotos: Rafael Renzo

CV: Como foi o processo de projetar para si mesmo?
EB:
Muito prazeroso, porque este foi meu primeiro apartamento. A 1ª reforma foi no ano 2000 antes de me mudar, e a segunda em 2017, quando pensamos em nos mudar mas acabamos optando por ficar.

CV: Qual é sua peça favorita no apartamento?
EB: A mesa de jantar! Na primeira reforma desenhei uma mesa retangular com 4 pés em aço nas pontas e tampo em mármore Piguês; já na segunda reforma, mudei completamente o layout da sala, e um dos motivos era acomodar uma mesa maior. Aproveitei o tampo antigo compondo com outras pedras, Nero Marquina, Giallo Reale e Quartzo Cinza, sobras garimpadas na marmoraria e um novo desenho de base em metal preto e sapatas de latão. Hoje a mesa tem 6 cadeiras, mas acomoda até 10 pessoas com as banquetas do balcão que também foram escolhidas, não só pelo estilo industrial retrô, mas pela versatilidade da regulagem de altura do assento.

CV: O que a casa representa na vida de vocês?
EB: Nossa casa traduz o que eu valorizo. É o lugar onde tenho prazer de estar todos os dias, onde nos sentimos confortáveis, seguros e recebemos nossos amigos e familiares para compartilhar bons momentos juntos!