Decoração Open House Apartamentos

Open House | Juliana Pippi

Sempre sempre gostei MUITo do trabalho da Juliana Pippi mas apesar dela fazer muitos trabalhos aqui em SP, Casa Cor e tudo mais, acabava acompanhando mais seu trabalho pelas redes sociais, pois no dia a dia ela fica mesmo em Floripa.

Isso até um dia que fui para Florianópolis a convite da queria Simone do ArqSC e virei mesmo fã da Juliana. Além de ser MUITO fera em arquitetura e décor ela tem um carisma bem fora da curva, é divertida, alegre e muito, muito profissional. Nesse dia que a conheci estávamos participando de uma papo papo na Massoti e foi uma delícia quando tomou a palavra, fiquei até tensa de falar depois dela rssss

Bom, feita essa apresentação inicial, quero escrever que fiquei contentíssima quando fechamos o Open House dela. Como você sabe eu adoro mostrar as casas de quem vive construindo a casa dos outros rssss Acho divertido perceber quais escolhas esses profissionais fizeram para suas residências.

Então, vamos ver o apartamento da Juliana? Ele fica no centro de Floripa, na Avenida Beira Mar, que é uma avenida em frente ao mar e tem mais ou menos 200m². Lucila: Me conta como este apartamento surgiu na sua vida.

Juliana: O apartamento em si tem uma história bacana, ele foi dos meus pais a muitos anos atrás e aí ao longo do tempo meus pais se mudaram, só que a um tempo atrás minha mãe recomprou o imóvel e eu convenci ela a vender para mim, então já foi passando de geração e geração. E eu acho que vamos ficar ali por um bom tempo!

Lucila: Como é a sua rotina de trabalho e os momentos que fica no apê?

Juliana: Eu moro no apartamento com meu marido. A gente tem uma rotina bem puxada. O dia inteiro não nos vemos, saímos cedo, cada um vai para um lado, e s;o nos encontramos a noite. Então a noite a gente curte muito o apartamento, ficar em casa, no sofá… gostamos muito de música também, então na sala de música a gente toca bastante violão, recebemos os amigos para cantar e rola uma super boemia! Todos os nossos amigos curtem muito também.

Lucila: Quando vocês recebem os amigos em casa costumam fazer o que de comigo? Quem cozinha?

Juliana: Gostamos muito de receber, até para isso que fizemos uma cozinha com uma ilha bem grande, porque meu marido é chef, então adoramos receber! Quanto as minhas habilidades, como ele é chef e eu adoro a comida dele, eu não faço muita questão de cozinhar, mas eu cozinho comida bem trivial e adoro preparar bolo.

Lucila: Se tivesse que escolher um elemento do apartamento, qual seria?

Juliana: Tem um quadro, que é do Rodrigo Cunha, que na verdade é um amigo nosso, de colégio, que se tornou um artista plástico bem reconhecido no Brasil e fora, ele já até expos em Londres. A gente foi acompanhando a trajetória dele, até um pouco antes de casar a gente comprou uma obra de arte, que foi uma das primeiras obras de arte que a gente comprou. Ela nos acompanha sempre, no nosso primeiro apartamento e nesse apartamento agora, que é o mais definitivo, ela ganhou lugar de destaque atrás do sofá, então é um objeto que temos bastante carinho.  Lucila: O que torna sua casa/apartamento um lugar único?

Juliana: Com certeza a casa de todo mundo é o lugar único para si, ne? Mas o nosso apartamento em si eu pude usar muitas coisas que eu curto, muitos moveis de design que eu curto, que eu sempre quis ter. Por exemplo, eu sempre quis ter uma mesa oval Saarinen, desde antes de ser arquiteta, quando eu já olhava as revistas, olhava referencias de design, então nesse apartamento eu pude ter moveis do Sergio Rodrigues que eu adoro, moveis do Jader, eu pude ter um pouquinho de tudo. Um pouquinho de cor em todos os lados, que é uma das características do meu trabalho, tijolinho, enfim, ao longo desses meus 17 anos o apartamento inteiro tem um pouquinho da minha cara em todos os cantos! 

Lucila: Onde vc mais reconhece sua personalidade nele?

Juliana: Acho que é em todos os ambientes, mesmo! Acho que é mais no colorido, no astral…. As pessoas que a gente recebe é muito bacana porque todas elas falam a mesma coisa, que tem muito alto astral, que se sentem muito bem indo lá, então é isso que importa, né? Acho que o conforto, é se sentir bem! Fotos: Marco Antonio

You Might Also Like

1 Comentário

  • Responder Divino Dias Engenheiro julho 11, 2017 at 8:19 am

    Excelente matéria!Parabéns!

  • Deixe uma resposta