O bairro Higienópolis, localizado na zona central de São Paulo, é o destino preferido dos apaixonados por arquitetura. Lá permanecem preservados alguns dos prédios mais icônicos da cidade, erguidos durante as décadas de 40, 50 e 60 por renomados arquitetos, como João Batista Vilanova Artigas e Artacho Jurado. Entre um edifício e outro – novos e antigos – também é possível vislumbrar pequenos tesouros em forma de palacetes que resistiram à passagem do tempo e à especulação imobiliária. Atraído por tamanha concentração cultural e artística, o publicitário Max Lacerda resolveu mudar-se para um apê da região: “Sempre quis morar em Higienópolis, pois gosto de prédios antigos. Ando muito a pé pelo bairro – essa é uma das suas grandes vantagens, dá para fazer tudo sem precisar tirar o carro da garagem”, recomenda o morador. 

O IMÓVEL COM ÓTIMA PLANTA E INÚMERAS JANELAS TEM VISTA PARA O BELÍSSIMO EDIFÍCIO CINDERELA. 


Durante uma busca em um site especializado, o Max se deparou com um bom candidato à lar e, sem precisar pensar duas vezes, agendou uma visita. “Quando entrei no apartamento fiquei impressionado. Apesar de não estar exatamente como eu queria, ele tinha um potencial enorme”, relembra. Com o imóvel adquirido, deu-se início a etapa da reforma, cujo projeto foi assinado pelo arquiteto Flavio Castro, do FC Studio. “O nosso maior desafio foi converter o layout familiar e compartimentado em um apartamento para um jovem solteiro”, explica o profissional. 

“A reforma foi feita em duas fases. Foi divertido, mas às vezes cansativo também. A gente quer tudo pronto rapidamente, mas infelizmente não é assim que funciona”, descreve Max. Para desenvolver o projeto, Castro partiu da dialética entre o antigo e o novo, com a intenção de preservar as memórias impregnadas na construção, mas abrindo espaço para atualizações mais contemporâneas que simbolizam a história de vida do proprietário. A primeira grande mudança foi estrutural: as paredes divisórias vieram abaixo para dar vida a um ambiente completamente integrado, com salas de estar, jantar e televisão, além da cozinha. Como o morador curte receber os amigos em casa, adorou a transformação, pois agora pode interagir melhor com os seus convidados estando em qualquer parte do living.  


O quebra-quebra também expôs as vigas e colunas originais do imóvel, que foram incorporadas na decoração. O concreto destes elementos reaparece nas prateleiras baixas que percorrem a parede principal do living, enfatizando ainda mais a horizontalidade do espaço. Sobre elas, Max tem lugar de sobra para expor suas peças preferidas de design, além dos seus livros. Outro ponto alto do projeto é a grande galeria em aço cortén que delimita o espaço social e camufla o acesso à área íntima, feito através de uma porta pivotante. As suas prateleiras rasas passaram a abrigar com perfeição as coleções de telefones vintage e de mini pôsteres cinematográficos do morador. E é exatamente essa mistura de elementos – novos, antigos e muito pessoais – que faz deste apartamento um lar de verdade, construído na medida para o aconchego: “Gosto quando consigo chegar mais cedo do trabalho e o sol está se pondo… Ele invade toda a sala. Quando isso acontece, eu me jogo no sofá e relaxo”.  

Quanta personalidade! Adorei o mix entre os elementos contemporâneos com os toques vintage dos objetos. Veja mais fotos na galeria abaixo!!